Amazônia teve 1.359 km² sob alerta de desmatamento em agosto, mostram dados do Inpe

 Amazônia teve 1.359 km² sob alerta de desmatamento em agosto, mostram dados do Inpe

Área é maior que a da cidade de Belém; Cerrado teve 189 km² de área sob alerta. Agosto marca o início da temporada de medições de desmatamento nos biomas brasileiros

Amazônia Legal teve uma área de 1.359 km² sob alerta de desmatamento em agosto, área cerca de 300 km² maior que a de Belém (PA), mostram dados desta sexta-feira (11) do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia. O Cerrado teve 189 km² de área sob alerta.

Os alertas foram feitos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter), que produz sinais diários de alteração na cobertura florestal para áreas maiores que 3 hectares (0,03 km²), tanto para áreas totalmente desmatadas como para aquelas em processo de degradação florestal (exploração de madeira, mineração, queimadas e outras).

O sistema aponta áreas com marcas de devastação que precisam ser fiscalizadas pelo Ibama, e não as taxas oficiais de desmatamento (veja detalhes mais abaixo nesta reportagem).

“Em agosto de 2020, foram 1.359km², a segunda maior marca para o mês desde o início da série histórica, porém 21% menor do que em 2019, quando tivemos a marca máxima para o mês, 1.714 km²”, disse, em nota, Rômulo Batista, porta-voz de Amazônia do Greenpeace.

A Amazônia Legal corresponde a 59% do território brasileiro, e engloba a área de 8 estados (AcreAmapáAmazonasMato GrossoParáRondôniaRoraima Tocantins) e parte do Maranhão. A maior parte da área desmatada da floresta em agosto foi no Pará.

Os municípios que mais desmataram foram:

  1. Porto Velho: 96,79 km²
  2. São Félix do Xingu (PA): 73,31 km²
  3. Altamira (PA): 72,69 km²
  4. Lábrea (AM): 57,99 km²
  5. Novo Progresso (PA): 40,94 km²
  6. Itaituba (PA): 40,53 km²
  7. Colniza (MT): 35,14 km²
  8. Pacajá (PA): 25,15 km²
  9. Cujubim (RO): 24,73 km²
  10. Portel (PA): 24,55 km²

Fonte: G1

Raphaela Vitiello

Raphaela Vitiello

Post relacionados

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!